domingo, fevereiro 15, 2009

Crónica: Universidade Sénior de Felgueiras

Pode não parecer evidente, mas o concelho de Felgueiras é algo especial na capacidade do seu povo e nas potencialidades desenvolvidas. Apesar de em princípios do século XXI ainda se notar número significativo de ileteracia em parte da população, não tanto já num analfabetismo como existiu até anos atrás, mas sensivelmente no espírito de falta de evolução instrutiva, entre factos notórios em compreensão de análise e entendimento, por exemplo, tal qual apetência pela leitura. Panorama esse, possivelmente por useira falta de fomento a certos níveis, que porém tende a alterar-se, como determinado desinteresse por valores culturais, a haver outros horizontes de apreciação, quando frutificar elevação em quantidade da frequência escolar, possibilitando inerente nível formativo. Contudo tais insuficiências supera-as Felgueiras na veia empreendedora de suas gentes. Ora, valorizando-se mais ainda o universo personalizado da região, quando algo começa a alterar antigo marasmo instrutivo, passando a sentir-se, nos tempos que correm, um surto de incentivo para um conhecimento extensivo a formação mais vasta, como é o caso dos processos oficiais agora em voga, em áreas de preenchimento sócio-profissional, quer de luta ao desemprego ou utilização dos horários extra-laborais, com os cursos chamados de novas oportunidades, para certificação de instrução granjeada na experiência vivida, já a Universidade Sénior e do Autodidacta de Felgueiras dera antecipadamente passos firmes, num diferente sistema de voluntariado, com vista à afirmação cultural obtida ao longo da vida. Nisso entrou um programa de formação a nível superior, no âmbito do chamado espírito rotário, por via de uma especial associação concelhia. de relevo na vivência pública, existente para o trabalho comunitário, o Rotary Club de Felgueiras. Em cujas actividades se está a sobressair existência da obra em apreço, a USAF-Universidade Sénior e do Autodidacta de Felgueiras. Efectivamente vai já no sétimo ano o tempo de desempenho de tal escola de convívio, como na prática funciona esse estabelecimento particular destinado ao fortalecimento do saber e das relações humanas.Tendo por cenário ambiental louvável objectivo de prestação de serviços de voluntariado nas áreas do ensino e da cultura, sem pretensão de ministrar qualquer curso formativo de equiparação, mas antes proporcionar oportunidades de formação e convívio através de diferentes áreas de estudo, de forma a possibilitar um grau instrutivo assinalável. Neste pé, a USAF mantém-se activa, com regulares aulas a funcionarem semanalmente da parte da tarde de segunda a quinta-feira, das 14, 30 às 19, 00 horas. Abarcando por ora um alvo de cerca de cinquenta alunos, que se juntam numa autêntica família na sala polivalente do patrono Clube Rotário, ao loteamento do Outeiro de Margaride, na cidade de Felgueiras. Onde continua esta instituição pujante na consciencialização da inerente convivência cívica e acção de solidariedade. Numa filosofia de liberdade de inscrição, estando acessível a qualquer nível cultural e literário, sem obrigatoriedade de frequência em todas as áreas programadas, embora sendo aconselhável um mínimo de três disciplinas, entre um leque de actividades permanentes desde artes decorativas, problemáticas do mundo moderno, novas tecnologias, psicologia/filosofia, literatura e cultura portuguesa, história, direito e saúde, até valorização de tradições e do património colectivo. Pautando-se pelo acolhimento de todos, sem discriminação de qualquer espécie, a USAF representa bem um espaço plural, a desenvolver aproveitamento dos tempos livres, proporcionando qualidade de vida em evitar sedentarismo e imobilização física e intelectual, entre quem se predispõe a conviver na troca de conhecimentos assim possibilitados. Estando destinada a sua finalidade a todas as pessoas de maior idade que desejem continuar a desenvolver actividade mental e social, por via de aprendizagem de uma nova forma de encarar a vida através do ensino e da cultura, incluindo convívio e fomento de novas amizades, além de possibilidade de mais conhecimentos e contactos, com lugar também para passeios e visitas de estudo, dentro das suas valências, conforme ilustra o blogue informático que possui no espaço da Internet. Tudo graças a um coeso grupo de colaboradores, desde sua abnegada comissão de alunos até a um quadro de professores e orientadores, em regime de trabalho gracioso, em prol do bem comum. Este serviço de voluntariado, patrocinado e apoiado pelo Rotary Club de Felgueiras, atendendo ao seu fim de promoção cultural e integração social, merece reconhecimento público e apoio oficial. Algo que parece não ter acontecido ainda, devendo ser ajudado por quem de direito, especialmente ao nível da autarquia representativa, para que a sua manutenção seja possível e possa ter condições ao desempenho de quão importante missão social. Até com respeito ao espírito institucional, nos lemas rotários universais de dar de si antes de pensar em si e de mais beneficiar quem melhor serve.
Autor: Armando Pinto

2 comentários:

Lino Silva disse...

Li e gostei.,

Anónimo disse...

G'ande Lino