terça-feira, dezembro 23, 2008

BOAS FESTAS

BOAS FESTAS

A U.S.A.F. deseja a todos os professores, alunos, amigos e colaboradores um Santo e Feliz Natal

VISITA DE ESTUDO A PARTE DA ROTA DO ROMÂNICO DO VALE DO SOUSA

Batiam as catorze horas e trinta minutos e o autocarro com alunos e professores da USAF estacionava no parque de estacionamento anexo ao mosteiro de Santa Maria de Pombeiro. Lugar aprazível, mesmo para um dia mau em vésperas de começo de Inverno.
Esperam-nos o Sr. Dr. Duarte, como elemento da Rota do Românico, e a nossa guia turística de seu nome Iolanda, que começou por nos explicar a origem do Mosteiro, seus Padrados e ou Comendas.
Trata-se de um Mosteiro Beneditino e como tal no Altar-mor, ladeando a Imagem de Santa Maria, está a imagem de S. Bento de Núrcia à esquerda e a de Santa Escolástica, irmã gémea de S. Bento, à direita.
Como quase todas as igrejas Românicas, ostenta três naves.
Tivemos acesso às celas dos monges Beneditinos e seus pertences necessários ao dia a dia de quem tinha e tem por missão rezar e trabalhar.
Ficamos ainda a saber que o Mosteiro terá sido fundado pelo D. Gomes Aciegas, por volta do ano mil cento e dois com a contribuição dos Nobres Sousões, que têm um Panteão no Mosteiro de Alcobaça.
Em escavações feitas, concluiu-se que terá havido no Mosteiro uma fundição e haveria um túnel de acesso a outras residências. Claro que tinha também enfermaria e farmácia para além de todas as alfaias do tempo, para trabalhar a terra. Tudo ficou muito danificado com as invasões Francesas, que pilharam o que era de valor.
Seguimos para a Torre de Vilar (torre dos mouros como se lhe chama), cujas obras de beneficiação a que foi sujeita lhe deram um ar de superioridade de que já era grande naquele tempo e os SOUSÕES eram grandes entre os grandes.
A torre ou casa forte está implantada sobre afloramento granítico e, segundo as Inquirições de 1258, na freguesia de Santa Maria de Vilar haveria dez casais, todos pertencentes a nobres e não havia propriedade régia. Um casal era dos filhos de Martini Subgerii de Agares (Martin Soares de Agares), cinco de Johannis Martini de Cainde (João Martins de Ataíde) e os restantes de Domni Egidii Martini (D. Gil Martins de Riba Vizela), e pensa-se que terá sido desta última família a origem da Torre de Vilar ou dos Mouros, tanto mais que a igreja de Santa Maria de Vilar lhes pertencia. Por uma carta de Martim Gil de Riba Vizela (II) ou de Sousa, datada de 24 de Fevereiro de 1306, escrita na torre e na qual o Conde de Barcelos promete a defesa do Mosteiro de Bustelo, entende-se que terá sido construída antes desta data.
Passamos depois ao lado da Ponte de Vilela para irmos visitar o Grandioso Mosteiro de S. Pedro de Ferreira, que terá sido construído por volta do ano de 1170 e 1180 e terá sido Pedro Pais da Maia que, ao refugiar-se em Leão, terá contratado um arquitecto que trabalhou na catedral de Zamora para executar as obras.
Trata-se de uma Igreja de uma só nave e muito bem construída, que tinha entre a porta principal e sineira um grande Átrio ou Nártex, onde os senhores se reuniam, comiam e divertiam e por isso estava um pouco mais abaixo. A sineira tinha e ainda tem dois sinos. O grande pertencia à Igreja e o pequeno ao povo, tocando a rebate quando aconteciam desgraças.
Seguidamente passamos pelo Memorial da Ermida, monumento de interesse, que se deve relacionar com o cortejo fúnebre.
Ao que parece, na ficção, estar relacionado com o cortejo fúnebre de Dona Mafalda. Dona Mafalda era filha de D. Sancho I e de Dona Dulce de Aragão (1195-1256). Assim, neta paterna de D. Afonso Henriques. Em 1215, com cerca de vinte anos foi dada para esposa de D. Henrique I, de Castela. D. Henrique veio a falecer com 12 anos, em 1217. O matrimónio, celebrado em 1215, foi declarado nulo em 1216, por impedimento de parentesco. Dona Mafalda regressou de Castela, recolheu ao Mosteiro de Arouca e tomou hábito em 1224. Dona de muitas propriedades, promoveu a fixação de populações e favoreceu outras Congregações e Igrejas. É da ficção que faleceu em Rio Tinto (proximidades do Porto), tendo o cortejo fúnebre ido para Arouca. No trajecto fizeram-se estes monumentos (Memoriais) onde o cortejo acampou. Foram seis em todo o percurso de Rio Tinto até Arouca. O seu corpo (incorrupto) está guardado desde 1793 num túmulo de ébano e prata. È designada pela RAINHA SANTA MAFALDA e o seu culto foi autorizado desde 27 de Fevereiro de 1972.
Era já noite quando o autocarro chegou ao Mosteiro de S. Salvador de Paço de Sousa, que foi fundado por Trocosendo Guedes, depois de ter pelejado a vida inteira contra os Sarracenos.
Estava-se então no ano de 994, quando se iniciou a sua construção. Da Igreja conventual erigida por Trocosendo, não ficou memória descritiva.
Em 1088, a Igreja primitiva é substituída por um novo Templo, mais espaçoso, cuja sagração foi feita pelo Arcebispo de Braga, D. Pedro. O trisavô de Egas Moniz, de seu nome Núnio Viegas, casou com uma filha de Trocosendo Guedes. O bisavô de Egas Moniz, também se chamava Egas Moniz.
Em 1106, Egas Moniz doa parte da sua fortuna ao Mosteiro. Frei Leão de S. Tomás refere que Egas Moniz mandou ali edificar os seus aposentos, com o nome PAÇO e um dormitório para religiosos com uma torre. O Palácio (Paço) deu o nome à povoação Paço de Sousa.
O Mosteiro é Beneditino, de construção Românica, com elementos góticos. Tem uma planta basilical com três naves e um transepto saliente, cabeceiras com dois absidíolos semicirculares e abside recta. Os pilares são cruciformes, para uma pressuposta abóbada em pedra, têm uma harmonia que traduz uma sensação de estabilidade e de força. A construção é em granito e a sua arte assume-se com a função essencial entre o sagrado e a sumptuosidade das artes litúrgicas. O interior, tal como as estruturas românicas, tem uma iluminação indirecta, com pequenas arestas ou janelas. A cobertura é em madeira. Um incêndio em 1927 destruiu-o, tendo sido reedificado pelos Monumentos Nacionais. Ainda hoje se verifica nas colunas as marcas negras desse incêndio, que reduziu a cinzas adornos, alfaias e valores mobiliários do interior
da igreja.
Egas Moniz foi um fiel (aio) amigo de D. Afonso Henriques e aqui ficou sepultado. Faleceu em 1146. Teve grande influência no movimento contra Dona. Teresa, mãe de D.Afonso Henriques, essencialmente na batalha de S. Mamede. É UM RICO-HOMEM (da família Riba Douro). O seu túmulo foi várias vezes mudado de local, dentro da Igreja. Em 1605, Martinho Golias verificando que a capela-jazigo carecia de Obras demoliu-a e ordenou que os despojos fossem transladados para a igreja do Convento. Apenas Egas Moniz ficou junto à Capela-Mor, dentro da arca funerária.
Em 1741, Frei Manuel das Neves, desejando alterar a Capela-Mor, rebaixou o pavimento e a arca de Egas Moniz foi desconjuntado e maltratada. Em 1784, Frei Manuel S. Tomaz, reconstruí a Capela-Mor e o túmulo de Egas Moniz foi removido. O túmulo foi com os ossos de Egas Moniz e seus filhos para o lado esquerdo do corpo da Igreja e depois para o fundo da Igreja à entrada.
Egas Moniz criou à sua volta uma lenda, que é conhecida pela sua intervenção no cerco de Guimarães, por D. Afonso VII de Leão (1127). O túmulo com as suas esculturas em baixos relevos apresenta cenas da lenda de ir de corda ao pescoço com a família ao Rei de Leão, em sinal de fidelidade e vassalagem, insistindo na sua condenação. O túmulo tem, ainda, numa cabeceira a ingénua figuração da salvação (a alma sai pela boca do defunto e é recolhida por dois Anjos) e as carpideiras a entoar os seus cânticos e choros.
O Mosteiro em 1580 passou para os Jesuítas (com o Conde D. Henrique), teve Abade Comendatário e aqui entrou em decadência. Foi um Mosteiro rico com bastos domínios e os Abades Beneditinos acrescentaram os claustros, dotaram-no com água perene, oficinas, casa do Capítulo, refeitório, dormitório, administravam o ensino, tinha uma Biblioteca e uma botica (farmácia).
Em 1834, as Ordens Religiosas foram extintas, o Convento foi vendido e a Igreja de S. Salvador foi entrega à Paróquia de Paço de Sousa. Em 1875, foi fundada a Casa Pia de Paço de Sousa (no recinto da entrada), por um brasileiro, Francisco José Ferraz. Em 1940, ardeu a ala sul e assim acabou. Em 1943, o Padre Américo aí fundou a Casa do Gaiato, na cerca da Quinta do Mosteiro.

A.C.NOGUEIRA 04-12-2008


quarta-feira, novembro 12, 2008

Um Violino no Telhado

Um Violino no Telhado
Mais um musical extraordinário, encenado pelo grande Filipe La Féria, em exibição no teatro Rivoli do Porto e protagonizado por um elenco de luxo, com notáveis actores, como José Raposo, Rita Ribeiro, Joel Branco, entre outros, e ao qual a USAF não podia ter ficado indiferente.
Assim, dia 6 de Novembro de 2008, vários elementos desta academia sénior, deslocaram-se à cidade invicta, para assistirem a este espectáculo.
"Um Violino no Telhado" é um dos maiores clássicos do Teatro Musical, baseado nas histórisa tradicionais da cultura judaica e que o violino é o símbolo da sobrevivência dessa cultura e do estilo desse povo na Europa de Leste.
Mostra o impacto das mudanças sociais e políticas no seio das comunidades e das famílias comuns, tendo a qualidade de permitir uma mensagem forte, enquanto diverte e comove.
Como um violista que se equilivra em cima de um telhado, irá esta maravilhosa equipa de actores, cantores, bailarinos, músicos, técnicos e produtores, oferecer-nos duas horas de prazer e sensibilidade.
É também uma história de perseguição aos judeus que se haviam fixado numa pequena cidade do sul da Rússia czarista, na véspera da revolução vermelha e que mais uma vez demonstra a crueldade exercida sobre este povo nas várias zonas do mundo.
"Um Violino no Telhado" retrata a vida de um pobre mas filósofo leiteiro - Terye ( José Raposo), pai de cinco filhas e marido de uma mulher de língua afiada - Golde (Rita Ribeiro), que vive na incerteza da iminente revolução. As três filhas mais velhas, são casadoiras, sob as quais se rodou toda a acção e intriga.
Esta peça oscilou, portanto, entre a tradição e a novidade, entre o amor e o ódio, entre o czarismo agonizante e a vontade popular na sua ascensão.
De todo este clima, o leiteiro é um bom exemplo. "Um Violino no Telhado", corresponde à nossa maneira de ser - disse! " Esta é a nossa tradição! Mantêmo-la com a força da nossa tradição: - tradição para comer, para trabalhar, para vestir, etc."
Terye, o pobre leiteiro, o pai coragem com os seus sonhos de fortuna e esperança de bons casamentos para as suas filhas, é o interprete de uma história que toca todas as famílias onde quer que este musical seja representado.
Durante o espectáculo, vão-se desenrolando cenas escaldantes e hilariantes, quer com os namorados das filhas, quer na taberna onde o leiteiro bebe os seus copitos com os amigos, quer ainda o aparecimento de jovens russos, que se atiram às filhas, enquanto outros vêm prevenir os judeus de que se está preparando uma grande perseguição contra eles, o que de facto acaba por acontecer, pelo que são forçados a procurar novos mundos, emigrando para a América.
Um violinista segue-os durante a caminhada, tocando a sentida melodia que desvenda os mistérios da vida e dos sonhos.

terça-feira, novembro 11, 2008

USAF promove concurso literário "Contos de Natal"



Regulamento


Artigo 1° - A USAF- Universidades Sénior e do Autodidacta de Felgueiras, promove o seu I Concurso de "Contos de Natal", sendo que para poder concorrer é obrigatório aceitar e cumprir o presente regulamento.
Artigo 2° - A inscrição é gratuita e o concurso é aberto a todas as pessoas singulares residentes ou naturais do concelho de Felgueiras, que se exprimam em português.
Artigo 3° - Entende-se por "Conto de Natal" um texto narrativo em prosa abordando a temática natalícia ou com ela relacionada, que não exceda três páginas em papel A-4, dactilografadas a dois espaços de uma só face.
Artigo 4° - Todos os textos deverão ser inéditos c dactilografados a dois espaços em papel A-4 numa só face e em quadruplicado.
Artigo 5.º - Cada concorrente só poderá apresentar até três produções.
Artigo 6 °- Cada concursante anexará às suas produções, assinadas só com pseudónimo, um envelope fechado contendo uma folha com o nome completo, idade, morada, contacto telefónico. No exterior deste envelope farão menção exclusivamente do pseudónimo.
Artigo 7° - As produções e o envelope contendo a identificação deverão ser colocados, por sua vez, num outro envelope fechado e sem indicação do remetente e enviados pelo correio até 5 (cinco) de Dezembro de 2008 (data do carimbo) para:
USAF- Universidade Sénior e do Autodidacta de Felgueiras
I Concurso de Contos de Natal
Av. Dr. Ribeiro de Magalhães, 925 - 10 - Esq.
4610- 108 FELGUEIRAS
Podem os concorrentes, se preferirem, fazer entrega em mão dos envelopes com os seus trabalhos no n.º 309 - 1 °- Dt.º, Rua Dr. Basílio Leite de Vasconcelos, no Outeiro, freguesia de Margaride, de 2.ª a 5.ª feira, das 14.30 h às 17.00 h, até 16 de Janeiro de 2009.
Artigo 8° - O não cumprimento do disposto nos artigos n°s 2, 3, 4, 5, 6, e 7 implica a não admissão dos trabalhos a concurso.
Artigo 9° - A classificação dos trabalhos será atribuição de um júri constituído por pessoas de reconhecida idoneidade e competência, de cujas decisões não haverá recurso, salvo em caso de plágio ou de trabalhos não inéditos, devidamente comprovado.
Artigo 10° - Não poderão participar neste concurso os membros do júri nem seus familiares directos.
Artigo 11° - O júri atribuirá, em principio, três prémios, podendo deixar de atribuir algum se as produções não tiverem merecimento, podendo também atribuir as menções honrosas que julgar merecidas.
Artigo 12° - Os trabalhos premiados ficarão na posse da USAF, que os utilizará conforme a sua conveniência e interesse. Os trabalhos não premiados poderão ser devolvidos desde que o seu autor os procure pessoalmente n.º 309 - 1 °- Dt.º, Rua Dr. Basílio Leite de Vasconcelos, no Outeiro, freguesia de Margaride, de 2.ª a 5.ª feira, das 14.30 h às 17.00 h ou pelo correio para o endereço acima indicado, no prazo de seis meses a contar da data da entrega, findos os quais a entidade organizadora poderá dispor deles como lhe aprouver.
Artigo 13° - A entrega dos prémios será feita em acto solene a realizar pela USAF durante este ano lectivo.
Artigo 14° - Apenas os concorrentes premiados serão notificados a fim de tomarem parte na cerimónia de atribuição dos prémios, no entanto o concurso e os seus resultados serão divulgados na comunicação social do concelho de Felgueiras.
Artigo 15° - Qualquer omissão neste Regulamento ou situação não prevista será resolvida pelo júri do concurso.
Felgueiras, 23 de Outubro de 2008.
A Direcção

sábado, novembro 01, 2008

DESTAQUES

PROGRAMA «APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA» — CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS 2009Instituído pelo PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA, este Programa visa contribuir, através da aprendizagem ao longo da vida, para o desenvolvimento da União Europeia enquanto sociedade de conhecimento avançada, caracterizada por um crescimento económico sustentável, com mais e melhores empregos e uma maior coesão social. www.projectotio.net/eacea

INCREASE: ESTIMULAR A CRIATIVIDADE INTERCULTURAL DOS SENIORESO Projecto InCreaSe irá criar uma academia que estimule a participação e aprendizagem cultural de pessoas idosas na Europa. www.projectotio.net/increase

ENVELHECIMENTO E SAÚDE EM PORTUGALFolheto elaborado pelo Gabinete de Informação e Prospectiva do Alto-Comissariado da Saúde. www.projectotio.net/folheto

DA APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA OU DO EXEMPLO DE UMA RELAÇÃO TERNÁRIA: AGORA, ANTES, DEPOISLivro da autoria da Prof.ª Doutora Maria da Graça L. Castro Pinto (Professora Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade do Porto).A obra justifica a criação do Programa de Estudos Universitários para Seniores da Univeridade do Porto e outros temas. www.projectotio.net/gcp

REDITEIA 41 - ENVELHECIMENTO ACTIVOA última edição da Rediteia, Revista editada pela Rede Europeia Anti-Pobreza Portugal (REAPN) é dedicada ao envelhecimento activo. http://www.projectotio.net/noticias.php?&IDTema=201&IDNoticia=34603

NOTÍCIAS

BOLSAS DE PÓS-GRADUAÇÃO PARA ESTUDOS SOBRE ENVELHECIMENTO ACTIVOA RUTIS (Associação Rede de Universidades da Terceira Idade) de acordo com os seus estatutos deve promover a investigação científica e académica na área da gerontologia.

WORKSHOP "PRODUTOS E SERVIÇOS TIC PARA INCLUSÃO SOCIAL E ACOMPANHAMENTO DE IDOSOS."A agenda do evento contempla um debate de ideias e uma conferência pública na qual serão abordadas questões pertinentes relacionadas com oportunidades de participação em programas I&D financiados pela união europeia e a Inserção Social da terceira idade suportada por TICs.

CADERNETA 65+ PARA CIDADÃOS COM MAIS DE 65 ANOSA Caderneta 65+ é gratuita e está disponível nas áreas de saúde do Continente, na União das Misericórdias, na Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e na Cruz Vermelha Portuguesa.

A RÁDIO "SÉNIOR" DO GRUPO RENASCENÇAA rádio Sim emite desde Agosto, em AM e FM e é uma rádio dirigida a ouvintes com mais de 55 anos que pretende chegar a todo o País e com um compromisso equilibrado entre a palavra e a música é a nova aposta do Grupo Renascença.

DO BLOGUE PARA O PAPEL AOS 92 ANOSJoão Silva tem 92 anos e é o mais velho bloguer português. As histórias que deixa na Internet desde 2005 saltaram para as páginas do livro "Rocha Chenaider", onde conta as memórias de uma vida a resistir ao fascismo, à prisão política, ao patronato e... à infoexclusão.

DESEJO DE (RE)COMEÇAR A VIVER DEPOIS DOS 50A saúde é o principal motivo de diminuição de bem-estar neste grupo etário, mas também a solidão e a falta de condições económicas ou de estudos condicionam a qualidade de vida dos nossos seniores.

EMPRESA LANÇA VERSÃO DE «MAGALHÃES» PARA IDOSOSA edição dedicada aos menos experientes tecnologicamente inclui programas de aprendizagem rápida, como «Introdução aos computadores… em 60 Minutos», «Internet… em 60 Minutos», «Word… em 60 Minutos», entre outros. Dos conteúdos do «60 Minutos» fazem ainda parte o sistema operativo Windows XP Home e uma Diciopédia.
................... ................... ...................
Associação VIDA – Valorização Intergeracional e Desenvolvimento ActivoContactos:email: vida@viver.orgTiO - Terceira Idade Online [desde 1999] - http://www.projectotio.net/

terça-feira, outubro 28, 2008

Calendário da USAF para 2008/2009

Abertura solene do ano lectivo marcado para o dia 21 de Novembro

Calendário

Clique na imagem para a ampliar


* Novas Tecnologias, se houver inscrições que justifiquem a sua abertura.

As aulas iniciaram-se no dia 13 de Outubro de 2008 e terminarão a 31 de Maio de 2009.
Não haverá actividades de 18 a 5 de Janeiro; de 20 de Fevereiro a 2 de Março; e de 3 a 20
de Abril.
As aulas de Artes Decorativas terão a duração de hora e meia, as demais serão de uma hora.
A abertura solene do ano lectivo está marcada para 21 de Novembro, da parte da tarte, em sessão a realizar no Centro Pastoral João Paulo II, em Santa Quitéria, Felgueiras, seguindo-se, pelas 19 horas, um jantar com animação cultural, na Quinta da Lixa, sessão essa onde serão entregues os prémios do Concurso de Quadras de S. Pedro 2008.
Nos meses de Dezembro, Março e Maio teremos uma aula de saúde pela Df. Elizabete Prim.

Felgueiras, 1 de Outubro de 2008.
O Director Executivo

terça-feira, outubro 21, 2008

CRUZES DA MINHA VIDA

Fiz uma colecção de cruzes,
Todas as cruzes do meu penar,
As minhas cruzes eram tantas,
Não tinha onde as guardar.

Fiz outra colecção de cruzes,,
Todas as cruzes do bem viver,
As minhas cruzes eram tantas,
Que não tinha onde as meter.


Das duas colecções de cruzes,
Eu retirei as da segunda,
Os valores das da primeira,

E , ficou um saldo de luzes,
Que no meu íntimo abunda,
Como o sol numa clareira.


Base: Nove sílabas
03 de Agosto de 2008
ACNogueira
SIM
Novo ano SIM
Mas não vida nova,
Apenas mais um prova
De amizade e carinho,
Companheirismo e ajuda
Conversas soltas e alegres,
As vezes tristes...mas sãs,
Novos temas a tratar
Outros apenas lembrar,
Projectos e realizações
Que libertam os coraçoes,
Agumas festas e passeios,
Sessenta minutos apenas
Que valem pela semana,



Mesmo tendo que correr
É ás vezes esforço fazer
Continuo a dizer SIM

María Luisa
Texto tratado na aula de Psicologia de 20/10/2008

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas
vezes mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa
do mundo,e posso evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os
desafios, incompreenssões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar e ser vitima dos problemas e se tornar um
autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma.


É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não" .
É ter segurança para receber uma crítica,
mesmo que injusta.

Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo...

Fernando Pessoa

sábado, outubro 18, 2008

Os adultos não choram!


No horizonte o sol desce muito lentamente, com a indolência própria dos que vêem fugir-lhes o tempo.
Nuvens persistentes apressam o ocaso do astro-rei que torna raiado o final da tarde. Daqui a nada é noite... E é mais uma tarde que passa.

Sentado, no paredão, rolam-me aos pés duas ondas temerosas...

Copiosas lágrimas correm pelas faces e precipitam-se no chão sobre os loiros caracóis acabados de cortar contribuindo para um choro sufocado.
Acabou-se o bem-bom. Em Outubro começa a escola. Já estás um homem, não te esqueças que é também em Outubro que fazes sete anos, não podes usar o cabelo como uma menina.
Já mo tinha dito o filho do trolha. Agora é que vais ver como elas cantam. Na escola: - porrada todos os dias, atemorizava-me ele! Era o seu mundo, ainda nessa manhã tinha apanhado uma monumental coça do pai só porque tinha caiado uma parede primeiro na vertical e depois na horizontal quando deveria ter feito o contrário. E nem o facto de ser filho do patrão lhe valeu de nada!

Sentado na enorme cadeira do barbeiro faço um esforço enorme por não chorar. Lágrimas, caracóis e um pedaço da minha alma misturam-se no chão numa amálgama indizível.
Rejeito a chupeta, coberta de açucar amarelo, com o que o esforçado Canedo conseguia acalmar as cabecitas mais irrequietas. Aquele açucareiro de chapa também amarela onde mergulhavam diversas chupetas sempre me repugnara até porque nele se misturavam os fluídos dos narizes menos cuidados.
As lágrimas persistentes já não sei que significavam. Se o adeus aos caracóis, às saias da mãe e da avó, se o amadurecimento da idade. Certo é que da escola não tinha medo. Ler, escrever e contar já eu sabia. A minha avó, com brio, disso se encarregara. Também já possuía sacola e o guarda-chuva que me haveria de distinguir das serapilheiras da vizinhaça. Sim, assumia-o já: estava um Homem.
Já não posso chorar. Tento não pensar mais nisso. Centro a minha atenção nos espelhos que me devolvem a nuca. Ao lado do açucareiro, os finos pós de arroz, premiados numa feira internacional por altura dos jogos olímpicos de Berlim de 1936, que hão-de contribuir para escanhoar os adultos.

E, firme: os adultos não choram!

J Santos Pinho in Semanário de Felgueiras de 10 de Outubro de 2008

terça-feira, outubro 07, 2008

USAF - AVISO - Início das Actividades Lectivas 2008/09 - Dia 13 - Alteração para as 16,30 horas

Informam-se todos os alunos que no próximo dia 13 de Outubro, segunda-feira, se iniciam as aulas.
Assim, todos deverão comparecer na reunião geral de alunos, que se realiza pelas 16h30, na sede da Usaf, sita à Rua Dr Basílio R. Leite de Vasconcelos, nº 309 - 1º Dto (junto à Rádio Felgueiras).

USAF 2008-09 Ficha de Inscrição


(Clique na ficha para ampliar)


USAF 2008-09

USAF 2008-09

USAF 2008-09

quarta-feira, outubro 01, 2008

Mostra teve grande adesão


Conforme fora anunciado, realizou-se, no passado fim-de-semana, uma importante Mostra das actividades da USAF, no hipermecado Modelo, em Felgueiras.
Sem dúvida que foi um evento de interesse para a comunidade, já que o mesmo obteve uma grande adesão de pessoas, principalmente da população menos jovem, que pode ali ter informação sobre as nossas actividades lectivas e sociais, através de documentação alusiva e informação personalizada por parte dos alunos da USAF, que se mostraram muito acolhedores de novos colegas.

Reunião

A Comissão de Alunos da USAF convoca todos os discentes e eventuais candidatos a esta Universidade para uma reunião geral para o próximo dia 13 de Outubro (início do ano lectivo), pelas 14,30 horas, a fim de se tratar assuntos de interesses gerais.

quinta-feira, setembro 18, 2008

Nota

Durante esta semana este blogue acusou problemas técnicos, ao não assumir vários conteúdos nele introduzidos pelos administradores deste espaço, pelo que os respectivos posts não ficaram gravados.
Certamente, muitos dos nossos leitores terão estranhado o nosso "silêncio" (precisamente, agora, em Setembro, altura de arranque para um novo ano lectivo), mas tal situação não foi da nossa responsabilidade.
Aos leitores deste blogue manifestamos toda a nossoa consideração e amizade.

Mostra da USAF no hipermecado Modelo, em Felgueiras | 26, 27 e 28 de Setembro

A USAF - Universidade Sénior de Felgueiras, vai promover, no último fim-de-semana de Setembro – dias 26, 27 e 28 –, no hipermercado Modelo, uma importante Mostra das suas actividades lectivas, dando, assim, desta forma, a conhecer o carácter e a seriedade científica e cultural do conteúdo das aulas ministradas nesta Universidade por competentíssimos professores – homens e mulheres que, ao longo das suas carreiras profissionais, são reconhecidos pelo mérito alcançado nas suas áreas de trabalho e que, nesta escola, ensinam da forma mais acessível e alegre. Os alunos aprendem, assim, a assimilar que o Saber é também um dos dons que nos leva à Felicidade interior e exterior, à nossa Paz de espírito e Paz com outros, à Harmonia e ao consequente Bem-Estar.
Nesta Mostra, para além de distribuição de literatura alusiva às actividades intelectuais da USAF, serão expostos trabalhos manuais (artesanato, pintura, etc..) elaborados por alunos desta escola durante os anos lectivos anteriores.

Abertas as inscrições para o novo ano lectivo


Estão abertas as inscrições para o ano lectivo 2008/2009 da USAF - Universidade Senior de Felgueiras, nas seguintes disciplinas:
Artes Decorativas
Direito / Economia
Saúde
História Universal
Problemáticas do Mundo Contemporâneo
Novas Tecnologias
Psicologia / Filosofia
Literatura e Cultura Portuguesa

É OBRIGATÓRIO FREQUENTAR, PELO MENOS, TRÊS ÁREAS

DESTINATÁRIOS:
Todos os interessados, principalmente os que já terminaram a sua actividade profissional normal, sem discriminação de qualquer índole, económica, cultural ou social.

OBJECTIVOS:
Evitar o isolamento, a auto-marginalização, promovendo a aquisição, troca e actualização de conhecimentos, bem como uma certa actividade intelectual, cultural e social, em suma proporcionar a todos uma melhor qualidade de vida.

INSCRIÇÕES:
Telemóveis. 967562143 (Sr. João Silva) e 966521904 (D. Lucinda Carvalho)

quarta-feira, julho 30, 2008

I Concurso de Quadras Populares de S. Pedro

A Comissão de Alunos da Universidade Sénior e Autodidacta de Felgueiras ( U.S.A.F), em colaboração com o Conselho Pedagógico da mesma decidiram publicar o resultado do I Concurso de Quadras Populares de S. Pedro.
Participaram cerca de 50 concorrentes que apresentaram uma centena de quadras de grande qualidade literária.
O júri fez a selecção de trabalhos e decidiu atribuir 6 menções honrosas para além dos três primeiros prémios às quadras aqui publicadas.
A atribuição dos prémios aos 3 primeiros classificados será efectuada no decurso do jantar-convivio após a cerimónia de abertura solene do próximo ano lectivo da USAF a realizar em Outubro.
A USAF espera que o próximo concurso decorra com o mesmo entusiasmo e sucesso que o do corrente ano.

1º lugar:

São Pedro, santo mundano,
Louvado de norte a sul,
Reina um só dia por ano
Na terra do “saco azul”.

“O Descobridor”

2º lugar:

Se São Pedro me ajudar,
Solteirinha é que eu não fico!
Pois por certo hei-de arranjar
Quem regue o meu manjerico!


“Luizinha Guimarães

3º lugar:

No cortejo vai na frente,
Levando as mais belas flores!
Diz, S. Pedro, francamente:
-És mais um dos meus Amores?
“Zé do Bustelo”

Felgueiras, 30 de Julho de 2008
João Silva (Associação de Alunos)
António Gaspar Martins (Conselho Pedagógico)

sábado, julho 05, 2008

rojoada2008

Rojoada Maio 2008

O Senhor Silva pediu-me
P’ra falar da rojoada
Por isso vou dizer algo
Mesmo sem estar inspirada.
Não vou a lado nenhum
Apenas para comer
Para me manter na linha
É, óbvio, está bom de ver;
Mas seria ingratidão
Com a nossa companheira
Que está sempre disponível
Com os dotes de cozinheira.
Sem medos de glicemias,
Colesterol ou tensões
Aos bons doces se atiraram
Todos, não só os glutões.

É que tínhamos o exemplo
De um médico que é um bom garfo
Que até nem diz aos alunos
Não olhem para o que eu faço.
Foi uma tarde bem passada
No nosso último dia
Na casa que nos recebe
Com a máxima simpatia.
Por isso ficamos gratos
Pelo carinho e trabalho
Da nossa amiga Lucinda
E o marido Sr. Carvalho.

É pena que as nossas férias
Tenham tanta duração
Por isso ponto final
Acabou-se a inspiração…
Aos amigos da USAF
Agora p´ra terminar
Muitos beijinhos e abraços
A todos quero mandar.
Maria Carolina – Junho 2008

segunda-feira, junho 09, 2008

Misericódia de Felgueiras convidou USAF para a sua Semana Aberta

Decorreu na Santa Casa da Misericórdia de Felgueiras, e por iniciativa desta, entre 30 de Maio e 6 de Junho corrente, uma Semana Aberta, denominada “Encontro de Gerações”. No âmbito desta iniciativa, realizou-se, logo no primeiro dia do evento - entre as 14,30 e as 17,30 h., um Workshop sobre o Envelhecimento e Bem- Estar, no qual a USAF se fez representar pelos alunos Fernanda Mendes e João Silva. Este Workshop foi feito no âmbito de uma parceria entre o Departamento de Psicologia e Educação da Universidade da Beira Interior e a entidade promotora do evento.

Esta sessão específica teve o seguinte programa:

1º - Quadro Temático: “Bem estar na Velhice”.
Este tema foi desenvolvido pela Prof.ª Doutora Marina Afonso, docente na Universidade da Beira Interior, bem como bem como na Academia Sènior da Covilhã. Recordo que a referida Academia Sènior foi a organizadora do VII Encontro das Universidades Séniores, que decorreu no passado dia 11 de Maio na Covilhã, na qual a USAF se fez representar por um bom grupo de alunos e professores.

2º - Quadro Temático:
“Reabilitação Cognitiva na Pessoa Idosa"
Este tema foi desenvolvido pela D.ra Márcia Costa, Psicóloga do Rendimento Social de Inserção.

3.º- Quadro Temático:
"As novas Tecnologias na Terceira Idade”:
Este tema foi desenvolvido pelo Prof. Feliciano Costa, Doutorando em Gerontologia, Terceira Idade e Novas Tecnologias.

4.º- Quadro Temático:
“A Comunicação para os Idosos”:
Este tema foi desenvolvido pelo Prof. Nato Azevedo Doutorando em Gerontologia, Terceira Idade e Comunicação.

Este encontro foi muito positivo, em termos de consciencialização das temáticas abordadas, num mundo cada vez com maior dificuldade de dar respostas ao problemas que afectam a Terceira Idade, dado as sociedades modernas estarem, cada vez mais, a envelhecer.
A USAF agradece o convite que lhe foi dirigido pela Santa Casa da Misericórdia de Felgueiras.

1 de Junho de 2008
João Silva

quarta-feira, maio 28, 2008

OS SORRISOS

OS SORRISOS

Dois lindos sorrisos, de ar sereno
Marcaram na vida o meu destino.
Um,está comigo e é terreno,
O outro,está no Céu, é Divino.

Nas longas horas, dias de cansaço,
Desta minha longa existência,
Do terreno,recebo um abraço
Do Divino recebo clemência.

Que sorte termos uma vida assim
Com dois sorrisos muito especiais.
Embora saiba que um é finito,

Mas está cá e vai velando por mim,
Com amor carinhoso e zelos tais,
Que se aproxima da Infinito.

Soneto escrito em 20 de maio de 2008
Para a minha esposa ao completar 70 anos
ACNogueira (Aluno da USAF)

Ecos de Abril

Ecos de Abril

Durante a negra noite agrilhoada
Num silêncio fatal, discretamente,
Alimentava a esperança mais dolente:
Sair à rua ao toque da alvorada.

Vi o Sol numa longa madrugada
– Penoso parto em Primavera ardente!
Andei aos ombros na alma desta gente
Das cidades aos campos, em revoada.

Num Portugal de cravos me enleei
Entre delírios loucos – óh vaidade!
Era o sonho dos sonhos que sonhei.

Telúricos arroubos de ansiedade,
Banhando esta Terra que eu beijei,
Ecoam: Li-ber-da-de, Li-ber-da-de…

José Leite

EXPOSIÇÃO DE ARTES

EXPOSIÇÃO DE ARTES

Hoje dia 20 de Maio, pelas 21 horas, realizou-se na Biblioteca Municipal de Felgueiras a sessão solene de abertura de mais uma exposição dos trabalhos de ARTES DECORATIVAS da USAF que foram sendo elaborados pelos alunos ao longo deste ano lectivo.
Deu inicio a esta solenidade o dirigente da USAF Sr. Octávio Pereira que deu as boas vindas a todos os presentes, dando seguidamente a palavra ao presidente do Rotary Club de Felgueiras dr. Ernesto Rodrigues bem como à responsável pela Biblioteca dr.ª Dulce Freitas, em representação da Ex.ma Presidente da Câmara Municipal.
Ambos teceram elogios aos trabalhos apresentados, que na verdade evidenciam a habilidade, o bom gosto, a criatividade e o trabalho árduo tanto dos alunos da USAF como das suas competentes professoras.
A encerrar este evento o sr. Octávio Pereira agradeceu a todos os presentes, incentivando os alunos a continuarem com este amor pela Arte mas sobretudo a manterem esta amizade, este convívio, tão salutar nas nossas idades. Só assim a vida é vivida com alegria e disponibilidade para os outros. Bem haja pelas sua palavras e que muitos anos de vida o mantenham a apoiar esta instituição.

2008-05-20
Fernanda Pantaleão

terça-feira, maio 20, 2008

segunda-feira, maio 12, 2008

Convívio da USAF (rojoada)

Na sequência dos eventos realizados pela USAF no corrente ano lectivo, será levado a efeito no próximo dia 29 de Maio [quinta-feira], pelas 18 horas, em Sta Marta (freguesia de Caramos), mais um convívio de alunos, professores e familiares.

O convívio terá como base um almoço à base de porco-caseiro (rojões) bem como diversas actividades de lazer e divertimento.

Concurso de Quadras Populares - USAF

A USAF e o Rotary Club de Felgueiras promovem o seu I Concurso de Quadras Populares que é regulado pelo respectivo Regulamento. Todas as quadras deverão referir obrigatoriamente o nome “S. Pedro”, em homenagem ao Padroeiro do nosso concelho. Os trabalhos deverão ser enviados pelo correio ou entregues em mão na sede do Rotary (por cima da Rádio). Serão atribuídos 3 prémios e menções honrosas.


Apelamos à participação nesta homenagem ao nosso Padroeiro.


Consulte o Regulamento do Concurso:


USAF – UNIVERSIDADE SÉNIOR E DO AUTODIDACTA DE FELGUEIRAS
Uma Obra do Rotary Club de Felgueiras


Concurso de Quadras Populares da USAF

REGULAMENTO

Art. 1ª
O Rotary Club de Felgueiras e a USAF-Universidade Sénior e do Autodidacta de Felgueiras, promovem o seu I Concurso de Quadras Populares, sendo que para poder concorrer é obrigatório aceitar e cumprir o presente Regulamento.
Art. 2º
A inscrição é gratuita e o concurso é aberto a todas as pessoas singulares residentes ou naturais do concelho de Felgueiras, que se exprimam em Português.
Art. 3º
Entende-se por quadra popular a composição poética de quatro versos heptassílabos, de sentido completo, rimando o 1º com o 3º e o 2º com o 4º verso (ABAB).
Art. 4º
Todas as quadras deverão obrigatoriamente referir o nome “S. Pedro”.
Art. 5º
Todos os textos deverão ser inéditos, dactilografados a dois espaços em papel A-4 (ou com letra Arial, tamanho 12, espaçamento 1,5) numa só face e em quadruplicado.
Art. 6º
Cada concorrente só poderá apresentar até três produções.
Art. 7º
Cada concorrente anexará às suas produções, assinadas só com pseudónimo, um envelope fechado contendo uma folha com: nome completo, idade, morada, contacto telefónico. No exterior deste envelope farão menção exclusivamente do pseudónimo.
Art. 8º
As produções e o envelope contendo a identificação deverão ser colocados, por sua vez, num outro envelope fechado e sem indicação do remetente e enviados pelo correio até 7 de Junho de 2008 (data do carimbo) para:
USAF – Universidade Sénior e do Autodidacta de Felgueiras
I Concurso de Quadras Populares
Av. Dr. Ribeiro de Magalhães, 925 – 1º Esq.
4610-108 Felgueiras
Os concorrentes, se preferirem, poderão fazer entrega em mão dos envelopes com os seus trabalhos na Sede do Rotary Club de Felgueiras (por cima da Rádio Felgueiras, Rua Dr. Basílio R. Leite de Vasconcelos) de 2ª a 5ª feira, das 14h30 às 17h00, até 7 de Junho de 2008
Art. 9º
O não cumprimento do disposto nos artigos nº2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8 implica a não admissão dos trabalhos a concurso.
Art. 10º
A classificação dos trabalhos será atribuição de um júri constituído por pessoas de reconhecida idoneidade e competência, de cujas decisões não haverá recurso, salvo em caso de plágio ou de trabalhos não inéditos, quando devidamente comprovado.
Art. 11º
Não poderão participar neste concurso os membros do Júri nem seus familiares directos.
Art. 12º
O Júri atribuirá três prémios, podendo deixar de atribuir algum se as produções não tiverem qualidade, podendo também atribuir as menções honrosas que julgar merecidas.
Art. 13º
Os trabalhos premiados ficam na posse do Rotary Club de Felgueiras e da USAF, que os utilizará conforme a sua conveniência e interesse. Os trabalhos não premiados poderão ser devolvidos desde que o seu autor os procure pessoalmente (no horário indicado no art. 8º), no prazo de seis meses a contar da data de entrega, findos os quais as entidades organizadoras poderão dispor deles como lhes aprouver.
Art. 14º
A entrega dos prémios será feita no dia de S. Pedro em local e hora a designar, ou na sua impossibilidade em acto solene a realizar pela USAF e Rotary Club de Felgueiras.
Art. 15º
Apenas os concorrentes premiados serão avisados pessoalmente, a fim de tomarem parte na cerimónia de atribuição dos prémios. No entanto, o concurso e os seus resultados serão divulgados na comunicação social do concelho de Felgueiras.
Art. 16º
Qualquer omissão neste Regulamento será resolvida pelo Júri do concurso.

Felgueiras, 10 de Maio de 2008

quarta-feira, abril 16, 2008

PRIMAVERA

Com o pé afasto a cadeira que me impede uma melhor exposição ao sol. Inspiro e respiro este ar primaveril que me enche os pulmões e preenche a alma. Fecho os olhos e espreguiço-me. Uma sensação de agrado e bem-estar percorre-me o dorido corpo inteiro.
O sol quando nasce é para todos! Mas, será mesmo assim? Bom, até porque ainda não tributado, não nos privemos dele, pois então.
Diante do portão passam camionetas com os garotos para a escola. Como sardinha na lata, lá vão, acabrunhados, para mais um dia de clausura. Àqueles desgraçados – mesmo que algum professor lhes falte – alguém se encarregará de lhes sonegar o sol e o ar que me alimentam o corpo e libertam o espírito.
Esta convalescença permitiu-me pausar o frenesim quotidiano e valorizar aquilo que a tirana vida contemporânea – subjugando-nos – não nos permite usufruir.
Mas deixemos os humanos e as suas diatribes perversas e usufruamos do contacto com a natureza.
Levanto-me, estico as pernas e olho em redor: as andorinhas retornam aos seus ninhos no beiral.
Vindos dos telhados da vizinhança voam, sobre a eira, os pombos que vêm pousar sobre a grossa coluna do alpendre. Do alto do tosco granito, enquanto constroem o ninho, pedaços de tudo caem dos seus bicos sobre o vaso da enorme, amarela e caduca azálea.
É a vida que germina. É alegria que volta.
Que azáfama a renovação da natureza! Esvoaçam esbaforidas as rolas que, das despontadas vides, vêm – no pinheiro do meu jardim – procriar perante a mais completa indiferença de melros e pardais que debicam na relva.
Até que repente tudo voa em turbilhão quando – vindos do canil – os desauridos cães cruzam os relvados tudo tentando abocanhar.
Sinto-me vivo. Entro em casa e muito lentamente saboreio um chá de camomila.
Adoro a minha casa.
J Santos Pinho

sexta-feira, abril 11, 2008

USAF em convívio

Pelas dez horas da manhã
Uma equipa de trabalhadores
Deu início à cozinhada
para muitos e bons comedores

Foi a três do mês de Março
Sábado, na quinta das Infantas
Começou trabalho para os dentes
E molho para as gargantas

Febras grelhadas e
Arroz de feijão e de hortos
Estava tudo tão apetitoso

Com doces, broa e vinho que até
Fazia de caminhos direitos
íngremes, sinuosos e tortos.

ACNogueira
08/03/2008


Convívio da Usaf

Unidos num espírito de convívio

Houve mais uma aula de anatomia
Enquanto o Sr. Dr. Rocha cozinhava
Havia sempre alguém que comia

Sempre bem apaladado estava o arroz
Feito com carinho pelas senhoras
mas não admira, porque em cozinhados
E doces são já todas doutoras

Assim se comeu e bebeu bem
Em ambiente muito agradável
Servido por e em casa de gente amável

Fez-se de seguida um passeio
Para quem quis andar
mas parte das senhoras ficaram a descansar

Convívio Aula de anatomia
em 08/03/2008

ACNogueira

domingo, março 23, 2008

Eventos Gastronómicos na USAF- O porco caseiro










Tal como temos vindo orgulhosamente a anunciar, a USAF celebrou, no passado dia 8 de Março, no afamado dia da mulher, um convívio em honra e homenagem à carne de porco caseira e aos produtos confeccionados à base de carne de porco.
O encontro aconteceu na QUINTA DAS INFANTAS, situada no concelho de Guimarães, gentilmente cedida pelo seu proprietário, senhor Meira. Do grandioso repasto constaram as inevitáveis e suculentas fêveras de porco caseiro, grelhadas na brasa, acompanhadas de um belo e fugidio arroz de feijão bem como um colorido arroz de grelos. Para terminar, além das deleitosas sobremesas, foi servido um magnífico caldo verde acompanhado de um sadio presunto, tudo de origem comprovadamente caseira. Não esquecer o maravilhoso vinho oferecido pelo senhor Meira, bem como os magníficos vinhos levados por alguns dos nossos alunos.
A preparação da festa começou bem cedo, com a deslocação para a Quinta das Infantas, de uma pequena equipa de alunos, acompanhados pela indispensável cozinheira, para que nada falhasse na a recepção dos convidados que começaram a chegar por volta das 12.30 h.
Como é de adivinhar, a boa disposição foi uma constante durante todo o encontro: todos se divertiram e, no final, todos receberam de bom agrado uma saudável caminhada pela floresta circundante, na pista de cicloturismo (Fafe – Guimarães) que cruza a localidade, facilitando assim uma boa digestão.
Já próximo da despedida (cerca das 18 h), todos regressaram a casa em sorriso, desejando que o próximo convívio aconteça muito em breve.
Segundo os nossos planos e para adoçar o apetite, o próximo encontro (o segundo deste ano) irá constar de uma saborosa rojoada à moda do Minho. Do terceiro convívio constarão as “miudezas” do porco que darão origem a uma saborosa “feijoada”.
A USAF agradece a simpatia e empenho com que o casal Meira recebeu a nossa comitiva.
Até ao próximo banquete!

João Silva

segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Visita de Estudo da USAF á Marinha Grande no dia 09-02-2008


Conforme indicações, o autocarro deveria sair da Central de Camionagem ás 07h 45m, mas só saiu ás 07h50m. No entanto teve que parar na Av. Dr. Leonardo Coimbra para entrarem mais alunos, o que motivou uma espera e a saída acabou por se dar na realidade ás 08h05m.
A chegada á área de serviço da Mealhada aconteceu ás 09h45m, e o pequeno-almoço e a casa de banho motivaram uma paragem de 15m.
Reposta a marcha, o aluno Sr. João Silva, teceu um longo e explicito rol de datas e acontecimentos que marcaram a história do Castelo de Leiria e da sua relevância na cidade, bem como seus costumes, usos e suas gentes. Fomos acompanhados pelo Sr. Vítor Gonçalves do Rotary Club de Leiria.
Chegados ao parque de estacionamento, junto do Castelo ás 11h02m, iniciou-se a visita já com a presença de Vítor Gonçalves e quase a totalidade dos alunos, ficando apenas alguns junto do autocarro por dificuldades de subir.
O castelo transmitiu-nos o quanto têm de conhecimentos e vivência de tempos idos.
Iniciamos então a viagem para a Marinha Grande às 11h 52m, para visitar a fábrica de vidro que também havia sido mencionado pelo Sr. João Silva e dela havia tecido merecidos louvores. Assistimos á moldagem do vidro pelos técnicos da fábrica e deliciamo-nos com obras-primas saídas das mãos dos trabalhadores que se encontravam expostas para venda. Seguimos para o almoço ás 12h40m, que foi muito bem servido no restaurante em cinco mesas redondas, onde fomos acompanhados pela senhora Dª Anisabel, Gabriel Roldão, Aurélio Ferreira e respectivos cônjuges sócios do Rotary Club da Marinha Grande.
Ás 14h40m, partimos para um visita ao Pinhal de Leiria ( Marinha Grande), cuja descrição pormenorizada de árvores e utilidades de outrora e hoje que nos foi prestada.
Passamos por S. Pedro de Moel, tendo-nos sido contada a sua história e dos seus habitantes, que são cerca de trezentos no Inverno, mas chegam a ultrapassar os dez mil no verão. Os piqueniques na quinta-feira Santa fazem parte da cultura destas gentes. Os pinheiros serpentes (retorcidos) são assim chamados porque se enrolam no chão para aguentarem a força do vento e evitar a destruição das dunas. Também ficamos a saber que há prospecção de poços de petróleo nesta zona, e que em tempos parece ter existido ursos nestas bandas, segundo uma pedra aqui encontrada e actualmente no Museu em Coimbra.
Chegados a Alcobaça às 16h30m, fizemos uma visita á igreja do mosteiro, ficando o resto por visitar porque infelizmente fechou quando nos preparávamos para entrar. Deixamos aqui o nosso protesto pois entendemos que os Museus e outros, deviam ter um horário mais alongado e com abertura ao Domingo para serem mais visitados.
Com algumas idas ao lanche e depois dos perdidos terem sido achados partimos ás 17h50m
A ceia foi servida a quem quis na zona da Bairrada e o repasto tinha de ser Leitão, no restaurante Típico da Bairrada.

Chegamos a Felgueiras pelas 23h.



António Coelho Nogueira

Aula de Saúde na Casa do Povo da Longra




Os médicos Dr. António Rocha e a Dr.ª Maria de Lourdes Peixoto, ambos professores da USAF – Universidade Sénior e Autodidacta de Felgueiras, deram, no passado dia 12 deste mês, uma Aula de Saúde, sob o tema das doenças cardiovasculares, “A Hipotensão Arterial”.
Desta vez, o local da sessão foi o Salão Nobre da Casa do Povo da Longra, na Vila da Longra, cuja Direcção se empenhou para que este evento se realizasse, com o firme propósito de levar às pessoas da localidade uma melhor qualidade de vida, mercê de uma filosofia de cuidados médicos preventivos.

Nesta sessão, para além dos representantes e de alguns alunos da USAF, bem como dos dirigentes da Casa do Povo, estiveram presentes cerca de 30 pessoas, naquele dia, de tarde, numa que é uma localidade pacata e cuja população activa encontra-se ocupada.
Duas enfermeiras do Centro de Saúde da Vila da Longra apoiaram os médicos da USAF, nesta missão de voluntariado, nomeadamente na medição das tensões arteriais. Para além disso, os médicos foram bastante elucidativos no seu discurso sobre o tema abordado.
João Silva

sexta-feira, fevereiro 08, 2008

Soneto

Unanimar o conhecimento
deve ser tarefa verdadeira.
Mesmo já no envelhecimento
devemos ser alunos de primeira.


Saber não ocupa lugar,
diz o povo e com razão.
Mesmo os seniores, podem andar
com muitos livros de mão em mão.


Assim e, para aprender bem
os Rot´arios de Felgueiras tem
uma Universidade com bom staff.


Faça-se aluno com frequência
e, com amor, alma e paciência
faça a sua matricula na USAF.



António Coelho Nogueira
30/01/2008

Aula de Saúde na Casa do Povo da Longra | Terça-feira, pelas 16 horas


Os médicos felgueirenses Dr. António Rocha e a Dr.ª Maria de Lourdes Peixoto, ambos professores da USAF – Universidade Sénior e Autodidacta de Felgueiras, vão dar uma aula de saúde, denominada “Acção de Educação para a Saúde”, na Casa do Povo da Longra, na próxima terça-feira, dia 12, pelas 16 horas, para um público alvo daquela região do concelho, pelo menos, acima dos 40 anos de idade, sendo a temática dessa aula “Hipertensão e seu Controlo”.

domingo, janeiro 27, 2008

DILIGÊNCIAS GASTRONÓMICAS DA USAF

DILIGÊNCIAS GASTRONÓMICAS DA USAF

A “matança do porco”, tal como em todo o País, é uma tradição ancestral no concelho de Felgueiras. Hoje, como nos tempos de antanho, este evento, que não deixa de ser também um momento festivo, decorre no Inverno.
As famílias rurais fazem, assim, a festa, em pleno convívio com os seus parentes, amigos e com a vizinhança, cujo repasto consiste na muito apreciada rojoada e, em certas partes do País, acompanhadas de papas de sarrabulho.

Depois deste repasto/convívio, as famílias, para além de usufruírem do consumo de carne fresca, aproveitam todas as partes do animal para o processo de conservação da parte restante, para todo o ano, através da salga e do fumeiro.

A USAF, procurando integrar-se nesta tradição, nos últimos anos, tem promovido, para os seus próprios alunos, diversos eventos integrados nesta tradição, nomeadamente uma rojoada, bem como outros petiscos à base de carne de porco.

Assim sendo, no passado dia 15 de Janeiro, pelas 16 horas, uma delegação da USAF (composta pelo Dr. António Rocha, Octávio Pereira, Fernanda Mendes e João Silva), dirigiram-se, debaixo de fortes chuvadas, ao concelho de Lousada, onde os aguardava o senhor Vitorino, criador e matador do respectivo porco, a fim de proceder à desmancha do animal, uma vez que já estava morto.

Como sempre, foi um trabalho árduo que coube ao senhor Vitorino e à D. Fernanda. Esta operação requer muita experiência para não desperdiçar nenhum pedaço. Há que separar cada parte do suíno segundo a respectiva finalidade: rojões, fêveras (para grelhar), carne (para “cozido” e para feijoada). Refeições estas que ainda vão ser programadas. Os restantes elementos apenas prestaram algum apoio logístico, nomeadamente provando umas fêveras assadas pelo Dr. Rocha na lareira do Sr. Vitorino. Como constataram que a carne era óptima, o Dr. Rocha, sendo médico fez as honras de veterinário, pois, dados os seus conhecimentos científicos (mais, essencialmente, gastronómicos), ordenou que a mesma pode ser consumida nos eventos da USAF durante todo o ano lectivo.

“Esquartejado” o porco e ordenada a respectiva carne em embalagens separadas (conforme os desígnios do Sr.” veterinário”), a tão distinta delegação regressou a Felgueiras por volta das 22 horas, a fim de acondicionar o produto carnívoro em arcas frigoríficas.

Brevemente, serão marcadas as datas dos acontecimentos gastronómicos onde irão ser servidos os deliciosos pratos à base de porco caseiro, que, com certeza, vão ser do inteiro agrado dos participantes.

Felgueiras, 26 de Janeiro de 2008.
João Silva